Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

COMO E QUANDO NASCE "MARIA-MÃE-DE-DEUS" NO CATOLICISMO ROMANO?

1 _ No Concílio de Éfeso, ano 431, Maria foi declarada Mãe de Deus

 

Na verdade, segundo a Bíblia,  ela foi mãe do corpo físico de Jesus homem. Deus não tem mãe! Ele é Criador, Maria como criatura.

 

2_  No Concílio de Latrão, ano 469, foi determinado  que Maria não teve outros filhos.

A Bíblia,  no entanto, regista  que  José "não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus. (Mateus 1:25) Como vemos, o texto bíblico, além de deixar implícito que o casamento foi consumado após o nascimento de Jesus Cristo, refere que Jesus é o PRIMOGÉNITO (primeiro filho) de Maria o que, à partida, significa que depois houveram outros. Iminentes cristãos do II Século registaram que Maria teve outros filhos com José;  E porque não teria? Casar-se e ter filhos não desonra mulher nenhuma. E, naquele tempo, não os ter era considerado maldição.

 

3_ No Concílio de Nicéa, ano 787, foi instituído o Culto a Maria (hiperdulia)

A igreja foi muito" inteligente" pedindo a uma mulher, a Imperatriz Irene, que presidisse ao Concílio! Com esse estratagema conseguiram sensibilizar os bispos que aprovaram a nova devoção sancionada pelo papa Adriano I. 

 

4_  O Dogma da "Imaculada Conceição" foi proclamada em 1854 pelo papa Pio IX, por conta própria e sem a necessidade de nenhum Concílio! – Esse papa censurou rispidamente a liberdade de Consciência, de Culto, do acesso do povo à  Palavra de Deus e da Imprensa!

 

5_  Cem anos depois, em 1950 a velha Igreja Católica deixa a cristandade perplexa quando, ao basear-se numa lenda infantil, com 15 séculos,  o papa Pio XII proclama a "Assunção de Maria".

 

Depois de todas estas decisões antibíblicas, pensaram  aumentar o peso da sua coroa proclamando-a "Rainha dos Céus, mãe de todas as graças" e outros títulos que a mãe de Jesus Cristo rejeitaria se cá estivesse.

A mãe de Jesus é invocada no Catolicismo como: Nossa Senhora do Bom-Parto, das Dores, da Agonia, da Luz, da Encarnação, do Bom-Despacho, da Boa Hora, das Causas Perdidas, etc. etc. etc. Mas, a menção mais insensata e irreverente a Maria é encontrada nas palavras do Padre António Vieira (Vol. 10, pág 198), onde compara o "Ventre Virginal de Maria com a Letra Ó". Essa expressão deu origem à "Nossa Senhora do Ó", adorada em todo o Brasil!

 Incrívelmente estranha é a doutrina dos jesuítas no "ÉLUCIDARIUM DE POSA", onde descrevem uma Maria hermafrodita, concorrendo como homem e mulher para produzir o corpo de Cristo! (Secundan generalem naturae tenorem ex parte maris et ex parte feminae).

Convenhamos que os evangélicos  não são tão irreverentes assim com o nome da mãe do Salvador! (Ver Os Jesuítas, Ano IV, nr. 1, pág 5 , Rio de Janeiro).

 

 https://www.facebook.com/notes/maria-helena-costa/como-e-quando-nasce-maria_m%C3%A3e_de_deus-no-catolicismo-romano/482930231782782