Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

O culto aos santos é Idolatria? - 1ª parte

Amados amigos católicos romanos, como tivemos oportunidade de mostrar ontem, no post http://catolicospornascimento.blogs.sapo.pt/catolicismo-e-idolatria-duas-coisas-que-21969, a conclusão a que o autor do blogue "Quero saber sobre Deus" pretende que os leitores menos avisados cheguem é esta: "O que acontece é que a acusação da idolatria proferida contra os católicos é completamente sem fundamento.". Mas, a verdade, é que esta conclusão não passa de uma falácia quando a analisamos à luz da Bíblia - Palavra de Deus. Portanto, estas palavras : "É justamente com o intuito de desmentir essas falsas acusações que o Quero saber sobre Deus vem falar nesta e na próxima postagem sobre a questão da IDOLATRIA. Primeiro estudaremos o culto que os católicos prestam aos santos e no próximo artigo falaremos da adoração prestada à Sagrada Eucaristia.", são fruto de uma falsa premissa e do facto de o autor ter forçado o significado das palavras. Na tentativa de explicar o que até aqui não conseguiu, o escritor lança mão de mais um dogma inventado pela ICAR no ano 375 d.C. - o culto aos santos. Nunca, em toda a Bíblia (com excepção dos livros apócrifos contidos no AT), se vê uma única instrução para invocar (rezar aos) mortos. Vamos analisar:

 

CULTO AOS SANTOS

 

"Nós, católicos, cremos no que chamamos de intercessão dos santos, ou seja, que os santos, que foram homens e mulheres de muita fé e muito tementes a Deus em vida, por estarem compartilhando atualmente da glória do Senhor, podem orar por nós diante de Deus pedindo que Ele realize graças em nossas vidas, atendendo às nossas orações."

 

Resposta: Muito sinceramente, eu penso que basta um único versículo das Sagradas Escrituras para mostrar a mentira contida neste texto no que toca a haver outros intercessores [mediadores]: "Pois, há um só Deus,e um só mediador entre Deus e os homens,um homem: Cristo Jesus," (1 Timóteo 2:5 - Bíblia dos Capuchinhos), mas como sei que, para o autor, o texto sagrado não tem qualquer valor quando comparado à tradição romanista, faço apenas uma pergunta ao leitor: «Os santos que morreram, são omniscientes»? Ou, noutras palavras: «Como a omnisciência é um atributo que só Deus [Pai, Filho e Espírito Santo] possui, os santos são Deus?»

Prossigamos: 

 

"Veja que a Doutrina Católica não vê um santo como um espírito que tem poderes especiais que faz milagres por conta própria, querendo para si reconhecimento pelo que faz. Um santo não possui poderes próprios. Nós pedimos algo a um santo e ele, por estar vivendo na presença eterna de Deus, ora por nós pedindo que Deus nos conceda a graça."

 

Resposta: Como já referi, para ouvir as nossas orações, o santo invocado teria que ser omnisciente, atributo que só Deus possui. - O que é que a Palavra de Deus nos diz acerca daqueles que morreram? Isto: "Os que estão vivos sabem que hão-de morrer, mas os mortos não sabem nada, nem para eles há ainda retribui­ção, pois a sua lembrança foi esque­cida. O seu amor, ódio e inveja pere­ce­ram juntamente com eles; e nunca mais terão parte em tudo quanto se faz debaixo do céu." (Eclesiastes 9:5-6). Além disso, e acredito que essa foi a causa pela qual Deus deu instruções tão claras para não serem feitas imagens para nós: "Não fareis ao lado de mim deuses de prata e deuses de ouro; não fareis isso para vós." (Êxodo 20:23), é porque Ele, conhecendo tão bem a sua criação, sabia que as pessoas iam adorar outros deuses e praticar a idolatria que Ele tanto abomina.

 

"No final das contas os santos são intercessores e quem realiza os milagres é o único que tem poder para isso: Deus! Mas por que é tão difícil entender algo tão simples? Aí entra a danada da má interpretação bíblica. Quem acusa os católicos tem mania de usar versículos isolados e completamente fora do contexto bíblico para provar suas teorias mirabolantes. Vamos analisar agora as acusações e os argumentos utilizados por eles."

 

Resposta: A bem da verdade, no final das contas, segundo a Palavra de Deus: "há um só Deus,e um só mediador entre Deus e os homens,um homem: Cristo Jesus," (1 Timóteo 2:5). Afirmar que, quem "acusa os católicos (eu acuso a instituição) tem a mania de usar versículos isolados e completamente fora do contexto bíblico", quando suprimem e ignoram o 2º mandamento a fim de promoverem o culto às imagens de escultura, é dar uma de Frei Tomás: "Faz o que ele diz, mas não faças o que ele faz!" Os cristãos não precisam de usar "versículos isolados (como o autor católico vai fazer já a seguir), porque qualquer pessoa pode ler todo o contexto. Mas, voltando à intercessão: Só Jesus é Deus, só Ele tem atributos de Deus como a omnisciência, e só Ele pode fazer o que a ICAR pretende entregar a uma infinidade de homens e mulheres que já morreram. A Bíblia diz-nos:  "mas este [Jesus Cristo], porque permanece eternamente, possui um sacerdócio que não acaba. Sendo assim, Ele pode salvar de um modo definitivo, os que por meio dele se aproximam de Deus, pois Ele está vivo para sempre, a fim de interceder por eles." (Hebreus 7:24-25). Infelizmente, seja qual for o ensino da ICAR acerca dos milagres no seu catecismo, o que vemos é a promoção e a atribuição de milagres aos santos mortos por parte de um povo ignorante da Escritura, que segue cegamente homens que promovem falsos milagres para alimentar a idolatria que tanto dinheirinho rende aos cofres da santa madre igreja. Basta olharmos para o desfile de uma imagem de gesso ou madeira pelas ruas do nosso País e ouvirmos as palavras dos fiéis para sabermos a quem é que eles atribuem os milagres e o poder para os fazer. 

Convido o amado leitor a olhar bem para esta tentativa esdrúxula de explicar o inexplicável:

 

"ACUSAÇÃO Nº 1: Deus proibiu que fossem feitas imagens quando disse “Não farás para ti escultura alguma do que está nos céus, ou embaixo sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra” (Êxodo 20:4). Ao rezarem diante de uma imagem vocês estão desrespeitando essa ordem de Deus, além de estarem cometendo Idolatria!

Olhando para isso façamos a seguinte pergunta: será que Deus está se referindo a qualquer tipo de escultura? Se estiver, então devemos considerar que o próprio Deus foi o maior idólatra que já existiu, pois Ele mesmo mandou construir duas estátuas de anjos na Arca da Aliança (Êxodo 25:18), uma imagem de serpente que curava as vítimas de picadas de cobra no deserto (Números 21:8), além do que Deus encheu com Sua glória o templo do rei Salomão, que era repleto de imagens de anjos e animais em suas paredes (I Reis, 7:29). Logicamente, pensar que Deus é um idólatra é ridículo. Então quer dizer que Deus está se contradizendo? Não. Ao analisar um texto bíblico, devemos fazê-lo dentro do contexto em que ele foi escrito."

 

Resposta: Então, vamos lá ao contexto. Deus nunca se contradiz! Os homens é que pretendem deturpar o que Ele nos ensina na Sua Palavra. Sim, Deus ordenou que o Seu povo fizesse algumas "imagens de escultura" _ Para Ele! _ Não para eles "Não farás para ti", não para o povo se prostrar perante elas, mas sim para fazerem uma oferta ao Senhor!

O mesmo aconteceu com as esculturas requeridas por Deus para ornamentar o templo erigido por Salomão (1Reis 6:23 e 7:29). Os israelitas jamais se prostraram perante elas. Nunca vi nenhum católico prostrar-se perante palmas, flores e leões, apesar de serem as imagens que Deus mandou fazer. Quanto à serpente de bronze, vamos ler o texto: "O SENHOR disse a Moisés: «Faz para ti uma serpente abrasadora e coloca-a num poste. Sucederá que todo aquele que tiver sido mordido, se olhar para ela, ficará vivo.» Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e fixou-a sobre um poste. Quando alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, vivia." (Números 21:8-9)

 Porque é que Deus mandou fazer isto?

Quando a serpente de bronze foi pendurada na haste, os israelitas não tinham como saber o significado que Jesus atribuiria a este acontecimento muitos anos mais tarde. São d'Ele estas palavras: "Assim como Moisés ergueu a serpente no deserto, assim também é necessário que o Filho do Homem seja erguido ao alto [na cruz], a fim de que todo o que nele crê tenha a vida eterna." (João 3:14-15).

Jesus explicou que, assim como os israelitas foram curados do veneno das cobras ao olharem para a serpente de bronze erguida na haste, todos os que crêem na morte expiatória do Filho de Deus, que foi pendurado numa cruz, podem ser salvos das doenças provocadas pelo pecado. Não era a serpente que curava as pessoas, mas a fé que tinham em Deus curá-las-ia. A fé foi demonstrada pela obediência às instruções de Deus. 

Quando os israelitas peregrinavam no deserto, Deus enviou uma praga de cobras venenosas para punir o povo pela sua rebeldia. Aqueles que estavam condenados à morte pela picada das cobras eram curados se obedecessem ao mandamento de Deus, que consistia em olhar para a serpente de bronze que fora levantada e cressem que Deus, não a imagem da serpente, os curaria. Creio que este episódio apontava claramente para a Cruz e para Cristo. A nossa salvação só acontece quando olhamos para Jesus, crendo que Ele nos salvará  da ferida fatal do pecado.

Acho que, tal como os israelitas naquele tempo, os mestres católicos  de hoje ainda não entenderam o ensino e a mensagem de Números 21:8-9.

 

Maria Helena Costa

Continua: