Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

HISTÓRIA DA IGREJA _ RAÍZES DE UMA ILUSÃO MODERNA

A promessa de Satanás feita a Eva de que ela poderia ser como Deus é a fundação da religião pagã mundial.

Para atingir essa meta o homem teria de se firmar e trabalhar muito, e assim nasceu a religião do esforço-próprio. Na verdade, as obras em vez de graça, sempre foi, e continua a ser a religião da qual o catolicismo romano é um exemplo perfeito.

A edificação da torre de Babel parece ter fornecido a credencial para a grande ilusão de que o homem pode atingir o céu por seu próprio esforço. É bem provável que Ninrode tenha sido o primeiro imperador a ser deificado, o que faz dele um percursor do Anticristo.

Babel (e a cidade da Babilónia construída mais tarde ao seu redor) foi o berço da crença num "destino superior" para toda a humanidade. Mais tarde esse sonho ficaria limitado às raças especiais, tais como os arianos, uma ideia que o nazismo de Hitler perseguiria a fim de destruir seis milhgões de judeus. Fazendo eco da mentira da serpente, Hitler diria: "O homem está a tronar-se um deus... Precisamos de homens livres que sintam e saibam que Deus está dentro deles próprios".

Os judeus, entretanto, não eram de modo algum homens, na prespectiva de Hitler, mas sim "Untermenschen" (subumanos), os quais ele resolveu exterminar pelo bem da raça ariana.

A teoria de Hitler da "pureza do sangue", que ele procurava obter através do extermínio dos judeus (sem qualquer oposição do Vaticano) teve a sua origem no antigo ocultismo. Ela estava ligada a um mítico Jardim do Éden nórdico, localizado na distante região conhecida como Hiperbórea. Lá, supostamente, uma raça ariana de homens deuses teria sido gerada por deuses que visitaram a terra. Nietzsche, cujos escritos muito influenciaram Hitler, iniciou a sua famosa obra "Anticristo" com a seguinte frase: "Vejamos por nós mesmos o que somos. Somos hiperboreanos (deuses)."

Mais uma vez se faz presente a mentira da serpente do Jardim do Éden.

O historiador Peter Viereck, vencedor de um prémio Pulitzer de jornalismo, encontrou as raízes do sonho nazi de raça superior de homens-deuses governando o mundo não apenas em Hegel e Nietzsche, mas em Wagner e uma porção de escritores românticos, e  em todos eles ecoava a mentira da serpente. O excerto seguinte é da conclusão do notável livro escrito por Viereck e oublicado em 1940, Meta-Politics: The Roots of the Nazi Mind (Meta-Política; As Raízes sa Mente Nazi).  Essa conclusão foi a que o editor original se recusou a incluir por ser radical demais, mas que em retrospectiva se mostrava incrívelmente acurada:

"Mein Kampf (Minha Luta, livro escrito por Hitler) já era um campeão de vendas muito antes que o povo germânico, votando livremente na eleição do Reichstag, em Setembro de 1930, aumentasse de 12 para 107 as cadeiras nazis, fazendo dele o maior partido da Alemanha. Naquele momento Hitler já havia dito em Minha Luta (usaremos uma das suas ameaças típicas): "Se no começo (da I Guerra Mundial) tivéssemos envenenado 12 ou 15 mil desses hebreus que subvertem o povo... então o sacrifício de um milhão de alemães no front não teria sido em vão... A eliminação oportuna de 12.000 andarilhos..."

O enigma germânico é: que tipo de comportamento poderiam esses milhões de eleitores pró-Hitler esperar, a partir de 1930, da mente monstruosa que engendrou essas ameaças de extermínio?... o seu livro não era um documento secreto... milhões de alemães o tinham... sendo que poucos o devem ter lido. Inclua-se entre os poucos leitores aqueles que o apoiavam em público e alguns influentes dignatários que tinham acesso à imprensa, rádio e outros meios para alertarem o público...

Algum dia os mesmos alemães, que agora vibram com a entrada triunfal de Hitler em Paris, dirão: "Não sabíamos o que estava a acontecer..." e quando chegar o dia em que ninguém dirá saber de coisa alguma, então serão ouvidas gragalhadas vindas do inferno. (Peter Viereck, Meta-Politics: The Roots of de Nazi Mind (Alfred A. Knopf, Inc.), 1941, edição de 1961, pp. 317-18).

 

Dave Hunt - A Mulher Montada na Besta Vol I