"Idólatra! Essa é uma palavrinha que é dita com muita frequência quando alguém quer falar mal de nós católicos. Eles nos acusam ferozmente de cometer esse pecado, dispensando qualquer demonstração de respeito pela nossa imagem. Porém, quase sempre se engana quem costuma usar essa palavra. Na verdade, quem usa a palavra “idolatria” quase sempre ignora o seu verdadeiro significado.

O que é Idolatria?

“A palavra Idolatria vem do latim eclesiástico idolatria, do grego eidolatres. Formada pela junção das palavras: eidolon = ídolo, e lautreuein = adorar” (JAPIASSÚ, Hilton e MARCONDES, Danilo. Dicionário Básico de Filosofia. 5.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2008. Disponível em: http://sites.google.com/site/dicionarioenciclopedico/idolatria). Ou seja, adorar um ídolo.

E o que é um ídolo?

Ídolo: “Estátua ou objeto cultuado como deus, que o substitui como objeto de adoração. Um falso deus”. (JAPIASSÚ, Hilton e MARCONDES, Danilo. Dicionário Básico de Filosofia. 5.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.)"

 

Resposta: Em primeiro lugar, sempre que escrevo ou falo acerca da idolatria que grassa no catolicismo romano, em momento nenhum o meu alvo é faltar ao respeito a pessoas que crêem sinceramente nos ensinos errados da instituição. Respeito as pessoas e amo-as. Não ignoro o significado da palavra "idolatria" e é por não o ignorar que reafirmo que a ICAR a promove colocando em risco a vida das pessoas que acreditam no que a cúpula pretende que creiam. Confesso que nunca havia consultado o dicionário acima, mas a verdade é que ele diz o que é a idolatria de forma clara e só mesmo quem não consegue entender a língua portuguesa pode dar-lhe outro significado como é o caso da pessoa que escreveu o blogue que estou a comentar. Outro dicionário, o bíblico, diz-nos que idolatria é: "Adoração a deuses falsos, às vezes por meio de imagens. Qualquer coisa que nos afaste da adoração ao único Deus verdadeiro (Rm 1.18-25)", mas, não vá algum amado católico romano criticar a fonte por ser bíblica e não um dicionário comum, aqui está o significado da palavra "idolatria" no "Dicionário Priberam da Língua Portuguesa" que está de acordo com o que afirmam os dicionários filosófico e  bíblico:

i·do·la·tri·a 

(latim idolatria, -ae, do grego eidolatreía, -as)

substantivo feminino

1. Adoração de ídolos.

2. Culto prestado ao que não é um deus.

3. [Figurado]  Amor excessivo.

Ou seja, algo (qualquer coisa) ou alguém (qualquer pessoa) que é posto no lugar de Deus."

 

Assim sendo, e como a Bíblia é claríssima acerca do que é a idolatria: "Não terás nenhum outro deus além de mim. Não farás para ti nenhuma imagem esculpida, seja do que está no alto do céu, ou em baixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não as adorarás, porque Eu, o SENHOR, sou o teu Deus, [...] (Deuteronómio 5:7-9a), não consigo ver no escrito de Moisés algo diferente do que lemos nos dicionários e que é prática corrente na ICAR [Igreja Católica Apostólica Romana]. O blogue prossegue:

 

"E o que é adoração?

Adorar é reconhecimento de algo ou alguém como ser supremo. “É essencialmente um ato da mente e da vontade, mas comumente expresso em atos externos de sacrifício, prece e reverência. A adoração, no sentido estrito, é devida a Deus somente”. (Dicionário católico – Diácono Alfredo. Disponível em: http://www.prestservi.com.br/diaconoalfredo/dicionario/inicial.htmRender culto à divindade… Ou seja, reconhecer algo ou alguém como um deus."

 

Resposta: Este dicionário apesar de ser católico, diz o que é a adoração. E ele é muito claro acerca de quem é que deve ser adorado. Deus! Ele só!

O autor do blogue, talvez porque acha que descobriu algo que não consta em nenhuma das fontes usadas por si, grita:

 

"SENDO ASSIM…

IDOLATRIA É O ATO DE RECONHECER UM FALSO DEUS COMO SER QUE ESTÁ ACIMA DE TUDO.

DESSA FORMA, O ATO DA IDOLATRIA É IMPOSSÍVEL DE SER PRATICADO POR UMA PESSOA QUE ACREDITA QUE SÓ EXISTE UM DEUS, QUE ACREDITA QUE ELE ESTÁ ACIMA DE TUDO E QUE “AMA A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS” (Primeiro mandamento da lei de Deus). E COMO É IMPOSSÍVEL SER CATÓLICO DISCORDANDO DESSE MANDAMENTO, ESTÁ MAIS DO QUE CLARO QUE É IMPOSSÍVEL QUE UM CATÓLICO PRATIQUE A IDOLATRIA."

 

Na na ni na na! Em nenhuma das fontes citadas acima é dito que: "IDOLATRIA É O ATO DE RECONHECER UM FALSO DEUS COMO SER QUE ESTÁ ACIMA DE TUDO." Eu sei que é isso que o autor queria que lá estivesse, mas não está. Além disso, acreditar que Deus é um só e que está acima de tudo, deveria levar-nos a adorá-Lo SÓ A ELE! Amar esse Deus sobre todas as coisas, significa obedecer-Lhe e não "fazer para nós nenhuma imagem esculpida, seja do que está no alto do céu, ou em baixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não nos prostrarmos diante delas e não as adorar, [..]. Significa entender que as únicas ocorrências na Bíblia que nos mostram alguém, além de Deus, a receber adoração, dizem respeito a falsos deuses, por trás dos quais estão Satanás e os seus demónios. Todos os seguidores do Senhor Deus rejeitam a adoração que lhes foi dirigida. Pedro e os apóstolos recusaram-se a ser adorados (Actos 10:25-26; 14:13-14). Os santos anjos recusaram-se a ser adorados (Apocalipse 19:10; 22-9). A resposta deles sempre que alguém se prostrava perante eles é sempre a mesma: “Adora a Deus!”
Os católicos romanos fazem "vista grossa” a estes princípios bíblicos e alegam que não “adoram” Maria ou os santos, mas que, apenas “veneram” Maria e os santos. Usar uma palavra diferente "venerar" não muda a essência do que está a ser feito que é idolatria. Uma das definições de “venerar” é “olhar com respeito e reverência”. O dicionário ensina-nos: 

"ve·ne·rar -
(latim veneror, -ari)

verbo transitivo

1. Demonstrar veneração por.

2. Prestar culto a. = ADORAR

3. Ter estima respeitosa por; tratar com muito respeito. = RESPEITAR, REVERENCIAR

4. Ter em grande consideração. = ACATAR, RESPEITAR" (in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa)"

 

O problema é que, em nenhum lugar da Bíblia nos é dito para reverenciarmos qualquer um que não seja Deus, e apenas Deus. Não há nada de errado em respeitar homens e mulheres - cristãos cheios de fé, que nos antecederam (veja Hebreus capítulo 11). Não há nada de errado em aprender com o exemplo de abnegação de Maria e em honrá-la como a mãe de Jesus. A Bíblia descreve Maria como “agraciada” do Senhor (Lucas 1:28). Ao mesmo tempo, não há qualquer instrução na Bíblia para que reverenciemos aqueles que já morreram e foram para o Céu. Devemos sim, tal como eles, seguir o exemplo de Cristo, mas não adorá-los, reverenciá-los ou venerá-los! Mas, vejamos o que mais nos diz o autor do blog:

 

"E mais… Segundo o significado da palavra “adorar”, ainda explicamos que é impossível dizer que alguém está cometendo o pecado da idolatria apenas observando suas atitudes, pois uma simples atitude não reflete exatamente o que se passa no coração de uma pessoa. O ato de adorar é algo que não se pode expressar somente em ações, mas vem essencialmente da mente, da vontade e parte do coração. Partindo dos significados etimológicos e teológicos que listamos acima, vamos tentar ilustrar isso em uma situação: Experimente chegar para um católico que tem devoção por algum santo e perguntar a ele quem é maior, Deus ou o santo. Acho que é fácil saber a resposta, não é?"

 

Resposta: Não, não é! Significados etimológicos e teológicos listados acima, onde? Tirando o sentido que o autor pretende que os significados das palavras tenham, eles não favorecem o que ele pretende. Dizer que Deus é maior do que os santos perante os quais se prostram, não é prova alguma de que não são idólatras. O que prova que são idólatras é a prática de se curvarem perante imagens, de lhes rezarem (estão mortos e não são omniscientes para os poder ouvir), de lhes acenderem velas e de lhes prestar culto. Dizer que Deus é maior, que Ele é um só, até os demónios crêem: "Tu crês que há um só Deus? Fazes bem. Também o crêem os demónios, mas enchem-se de terror.» (Tiago 2:19).

Ao estudar  a teoria do culto relativo e a disposição dos dez mandamentos, sobretudo, o 2º e o 10º, no catecismo católico, observe atentamente as nuances para as três espécies de culto: Latria [adoração], para as imagens de Cristo; Hiperdulia [alta veneração] , para as imagens da "Virgem"; Dulia [honra ou veneração] para as imagens do demais santos.
A ideia católica, relacionada ao culto relativo, é que o fiel diante das imagens não deve fazer outra coisa senão ver e adorar nelas o protótipo, o exemplar, o original do qual a imagem é a representação (Collete, Carlos H. 2000. Inovações do Romanismo, p.94).
Uma segunda ideia, que está mais ligada às três nuances (Latria, hiperdulia e dulia ) entende que a mesma honra deve ser dada tanto à imagem quanto ao original. É nessa base que prestam adoração relativa.Os católicos, ao fundirem os dois primeiros mandamentos, transformando-os em apenas um, precisam de alterar outro mandamento para manter o total de dez. Para isso, então, eles transformam o décimo mandamento em dois: 9º "não cobiçaras a mulher do teu próximo" e 10º "não cobiçarás as coisas do teu próximo".
Essa alteração na inversão que fazem à ordem dos dez mandamentos reforça a ideia deles. Eles fundem o 1º e o 2º mandamento. Logo, a proibição seria (segundo eles) de cultuar e fazer imagens de outros deuses. Todavia, o 2º mandamento é distinto do 1º. O primeiro diz quem é o verdadeiro Deus que deve ser adorado e o segundo como se deve adorar o verdadeiro Deus (ou seja, não devemos adorá-lo através de imagens). Portanto, o primeiro mandamento proíbe o reconhecimento de qualquer outro que não seja o único e verdadeiro Deus. O segundo mandamento proíbe o uso de imagens no culto religioso. É assim que está nas Escrituras e, de igual modo, crêem os cristãos protestantes.
 

Portanto, o facto de a ICAR ter suprimido o 2º mandamento na lenga-lenga que ensinam ao povo não o apaga da Bíblia. Perante isso, o papa, nesta imagem, além de incentivar o povo à idolatria está  a desobedecer claramente ao 2º mandamento: "Não farás para ti nenhuma imagem esculpida, seja do que está no alto do céu, ou em baixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não as adorarás, porque Eu, o SENHOR, sou o teu Deus, [...]"  (Deuteronómio 5:7-9a).

 

 

 

 Continua: