Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

Carneiros de Panúrgio

Tomás da Fonseca, escreveu muitas cartas ao Cardeal Patriarca de Lisboa, publicadas no jornal "República", com o propósito

de abrir os olhos ao povo para o embuste de Fátima. Depois de, em várias cartas, expor as contradições da "aparição", faz este  apelo sentido sentido:

 

“Senhor Patriarca de Lisboa:

 

Bem sei que tenho vindo a ensinar o pai-nosso ao vigário, que neste caso é V. Em.ª. Mas se tudo sabeis, e melhor do que ninguém, não o sabe a grande maioria do povo português, especialmente os desgraçados que, à voz do clero, suspendem as sachas e as ceifas, abandonam o boi e a charrua, e aí vão todos em corda, como os carneiros de Panúrgio, ou as lagartas dos pinheiros, na convicção de que quanto lhes dizem, do altar e do púlpito, é palavra de Deus, que não engana. Vamos, portanto, ao seu encontro, e digamos-lhes tudo, a fim de os libertarmos da cruz e do que lhes falta percorrer na via dolorosa a que a ignorância e a miséria os condenaram. Se não pudermos aliviá-los, nem fazê-los arrepiar caminho, ao menos tenhamos piedade!”

Na Cova dos Leões

Tomás da Fonseca

Portugal-Fatima-O-Milagre-de-Fatima-Original-Artic