Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

NASCIDOS CATÓLICOS

Amordaçados, sem liberdade de escolha, nascem assim, crescem assim e rumam ao inferno pensando que o purgatório existe. Enganados, seguem crendo em homens, na contramão daquela que dizem ser A Palavra de Deus.

A VIRGINDADE DE MARIA

A ICAR (Igreja Católica Romana) afirma que Maria, mãe de Jesus, se conservou virgem até à sua morte.

É esse o motivo pelo qual, nas rezas dirigidas a Maria ela é chamada de "Sempre Virgem Maria"...

O que diz a Palavra de Deus acerca deste assunto?

Antes do nascimento de Jesus, Maria e José não tiveram relações sexuais, José não a "conheceu" como nos diz Mateus no cap. 1, vers. 25: "E não a conheceu até que deu à luz seu filho,"

Depois que Jesus nasceu, passado o período pós-parto, o casal, Maria e José, passou a ter uma vida normal de marido e mulher e teve filhos: Tiago, José, Simão, Judas e, no mínimo, duas filhas, conforme está registado na Bíblia. Referindo-se a Jesus, aqueles que O conheciam exclamavam: "Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs? (Mateus 13:55-56) 

Ainda no evangelho de Mateus lemos: "Estando Maria, sua mãe (mãe de Jesus), desposada com José, antes que coabitassem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. José, seu marido, sendo justo e não querendo difamá-la, resolveu deixá-la secretamente. Projetando ele isso, em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo. José, despertando do sonho, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher. E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogénito; e pôs-lhe por nome Jesus." (Mateus 1:18-20; 24-25)

A expressão "até que" _ "não a conheceu até que ela deu à luz seu filho" _ indica um limite de tempo, no espaço ou nas acções. 

Pode ser traduzido assim: José não teve realções sexuais com Maria antes ou enquanto ela estava grávida de Jesus, para que se cumprisse a Escritura: "a virgem conceberá e dará à luz um filho ..." (Isaías  7.14). O anjo do Senhor falou a José, em sonhos: "Não temas receber a Maria tua mulher".

Com estas palavras o Anjo disse a José que ele deveria casar-se com Maria, apesar da gravidez inesperada; que o seu projeto de vida a dois não deveria ser abandonado, que o casal não deveria separar-se; ou seja, que José e Maria, deveriam continuar casados. Parece-me que se a vontade de Deus fosse perpetuar a virgindade de Maria até à sua morte, a conversa do Anjo com José teria sido diferente. Mas não foi isso que aconteceu. As palavras do Anjo foram: "não temas receber a Maria tua mulher". Observemos a expressão "tua mulher". A Bíblia diz-nos que Maria foi a mulher de José.

Mas, há mais passagens na Bíblia sobre a família de Jesus. "Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem falar-te" (Mateus 12:47); "Não temos o direito de levar connosco os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? (1 Coríntios 9:5); "Depois disto desceu para Carfanaum, com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos" ( João 2:12); "Depois, passados três anos, fui a Jerusalém para ver a Pedro e fiquei com ele quinze dias. E não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor" (Gálatas 1:18-19).

Contra o argumento falacioso do Catolicismo Romano de que era costume na época o tratamento de "irmãos" para com todos os parentes e discípulos, lembramos que nas passagens acima vê-se a nítida diferença entre ser apóstolo/discípulo e ser irmão do Senhor.  "E foram ter com Ele sua mãe e seus irmãos, e não podiam aproximar-se dEle, por causa da multidão. E foi-Lhe dito: Estão lá fora tua mãe e teus irmãos, que querem ver-te" (Lucas 8:19-20).

Não consta em toda a Bíblia que Maria tenha feito voto de castidade. José, seu marido, também não. O sexo não é pecado quando praticado no casamento. O anjo Gabriel anunciou a Maria o plano de Deus, de gerar no seu ventre o Salvador e, ao tranquilizar José, explicando-lhe o que estava a acontecer, não exigiu deles a manutenção da virgindade de Maria nem a abstinência de José.

As mães em todo o mundo podem gerar muitos filhos levando uma vida de santidade.

Maternidade e santidade nunca foram nem são incompatíveis. O sexo no casamento não é impureza. José e Maria foram abençoados com uma prole de pelo menos seis filhos, não contando com Jesus, sendo quatro homens e, no mínimo, duas mulheres. É assim que nos ensina a Bíblia Sagrada.            

Para terminar, não podemos ignorar que Maria "deu à luz a seu filho primogénito..." (Lucas 2:7) Primogénito, segundo o Dicionário Aurélio, é o nome  "daquele que foi gerado antes dos outros, que é o filho mais velho". Jesus foi o filho mais velho de Maria.

Em realação a Deus Pai e Deus Filho, Jesus é chamado de unigénito, ou seja, o único gerado por Seu Pai, tal como definido em João 3.16: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna".

 

https://www.facebook.com/notes/maria-helena-costa/a-virgindade-de-maria/483124941763311