Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NASCIDOS CATÓLICOS

Já não basta sabermos o que cremos. É essencial saber porque é que cremos. Acreditar nalguma coisa não significa necessariamente que ela seja verdadeira: (Paul Little)

NASCIDOS CATÓLICOS

Já não basta sabermos o que cremos. É essencial saber porque é que cremos. Acreditar nalguma coisa não significa necessariamente que ela seja verdadeira: (Paul Little)

1 – OS PAIS DA IGREJA NÃO CRIAM NA TRANSUBSTANCIAÇÃO “Os símbolos místicos (o pão e o vinho) não abandonam a sua natureza depois da consagração, mas conservam a substância e a forma em tudo como antes” (Teodoreto, Dialogus, Liber II) “O sacramento do corpo e do sangue de Cristo é verdadeiramente coisa divina; mas o pão e o vinho permanecem na sua substância e natureza de pão e vinho” (Gelásio, Das duas naturezas) “Antes da consagração o chamamos pão, mas (...)
1) No Concílio de Éfeso, ano 431, Maria foi declarada Mãe de Deus.  Na verdade, segundo a Bíblia,  Maria foi mãe do corpo físico de Jesus Homem e o objectivo do Concílio era ratificar o facto de Jesus nunca ter deixado de ser Deus. Deus é o Criador. Jesus é Deus Eterno, o Criador de Maria. Deus, o Ser de Deus - Pai, Filho e Espírito Santo - não tem mãe. Deus é o Criador, Maria Sua criatura. Além disso, os Concílios não são infalíveis, pois enquanto Roma aceita 21 (...)
14 Out, 2016

Dia 13 de Outubro

Hoje [no caso, ontem], celebra-se o dia da grande mentira! A Igreja Católica Romana, ao longo dos séculos, inventou dogmas e criou uma deusa-mãe que, segundo a religião estatal apareceu em Fátima e em milhares de outros lugares... Uma deusa que pediu adoração ao seu "imaculado" coração, e que ocupa no coração dos católicos marianos o lugar que só Deus devia ocupar. Essa deusa não tem qualquer semelhança com Maria, a mãe de Jesus.   Maria de Nazaré, não foi um ser (...)
O autor deste texto diz que os protestantes acusam os católicos baseados numa má interpretação de 1 Timóteo 2:5. Vamos perceber se isto é verdade:    "ACUSAÇÃO Nº 3: “Jesus é o único mediador entre Deus e os homens” (I Timóteo 2:5), logo outras pessoas não podem mediar essa relação!"engraçado é que esse argumento prova a nossa primeira explicação, de que tais acusadores analisam o texto bíblico totalmente fora do contexto. Vamos ver o que dizem os versículos ime (...)
Prossigamos em desmascarar o falso ensino do catolicismo romano no que diz respeito á adoração de imagens de homens e mulheres que já morreram e que a Bíblia ensina ser idolatria:   "ACUSAÇÃO Nº 2: Vocês ajoelham-se diante de imagens e fazem orações a elas. Isso é adoração! "Então quer dizer que quando Abraão se ajoelhou diante dos três anjos que estavam passando perto de sua tenda (Génesis 18:2) ele os estava adorando? Mas logo Abraão, o homem chamado de pai da fé, (...)
O autor que escreveu o texto que tenho vindo a esclarecer à luz da Bíblia, prossegue na sua tentativa de chamar outra coisa qualquer à idolatria:   "Em primeiro lugar, se formos analisar a tradução grega da Bíblia, veremos que o termo que foi traduzido como escultura na verdade é “eidolon”, que significa ídolo. E como já abrimos este post explicando, um ídolo é tudo aquilo que colocamos no lugar que é exclusivo de Deus. O que por si só já configura um pecado contra o (...)
06 Mai, 2016

Desvios

A Igreja Católica Romana, ao promover as imagens e ao canonizar os mortos, desvia a atenção e o coração dos fiéis da obra que o Espírito Santo. Todas as imagens e todos os "santos anonizados" são fonte de distracção e dividem o coração dos fiéis que devia estar TODO voltado para Cristo!   Como diz John Piper: “O Espírito Santo não realiza a sua obra à parte do evangelho, porque a Sua obra consiste em abrir os nossos olhos, para vermos Cristo manifestado no evangelho. (...)
Amados amigos católicos romanos, como tivemos oportunidade de mostrar ontem, no post http://catolicospornascimento.blogs.sapo.pt/catolicismo-e-idolatria-duas-coisas-que-21969, a conclusão a que o autor do blogue "Quero saber sobre Deus" pretende que os leitores menos avisados cheguem é esta: "O que acontece é que a acusação da idolatria proferida contra os católicos é completamente sem fundamento.". Mas, a verdade, é que esta conclusão não passa de uma falácia quando a (...)
Um querido amigo, católico romano, enviou-me o link deste blogue para tentar mostrar-me que é verdade a mentira que o título do mesmo afirma. Então, vamos lá tentar perceber o que é verdade e o que é mentira no texto que vou analisar.  Vou usar este tipo de letra nas minhas considerações feitas acerca deste assunto sob a luz da Palavra de Deus, e vou dividir o post em três partes para não se tornar demasiado longo. Vamos lá à primeira parte na qual lemos:   "Idólatra! (...)
"Estarmos proximo das coisas de Deus, não significa estarmos proximo de Deus!"   Não estou a dar início a esta série de textos acerca do catolicismo romano para julgar ou condenar os muitos milhões de católicos romanos que acreditam sinceramente estar na única igreja verdadeira. O meu único propósito é ajudá-los a entender melhor a doutrina Católica, a fim de estarem preparados para comparecer diante do Julgamento de Deus, como todos nós teremos de fazer, depois da morte: (...)